28.8.08

Só por hoje...

Só por hoje peço permissão para sofrer
Que meus olhos não se envergonhem,
Que meu coração não se envergonhe,
Que minha poesia não se envergonhe,
Pois hoje tombaram covardemente...

Amanhã é outra história.
Quando o sol nascer
Estarei de pé novamente,
Firme, resoluta, confiante e quem sabe sorridente...
Mas por hoje apenas,
Suplico por meu direito de sofrer
Somente hoje (e quem sabe pela eternidade),
Manterei distância da ditadura da alegria forçada,
Obrigatória.

Quero a verdade
A simples verdade de saber-me humana,
Pés no chão, sangue nas veias e lágrimas nos olhos
Quero a doce transparência de saber-me carne e espírito,
- Sem nenhum intervalo entre ambos -
A suave e quase nula surpresa
De descobrir-me universo,
De aceitar-me terra
E desejar-me semente.

4 comentários:

Mario Ferrari disse...

AAAAAAAAAAAAIIIIIIIIIIIIIIIIIIII
Mulher!!!!!!!!!!!!!
Eu simplesmente achei lindo demais.
Amei até as lágrimas, Vanessa.
Eu amo o que você faz.
Você é linda mesmo, poeta.
Um beijo grande, coração!
Mario

Mario Ferrari disse...

Só por hoje peço permissão para sofrer
Que meus olhos não se envergonhem,
Que meu coração não se envergonhe,
Que minha poesia não se envergonhe,
Pois hoje tombaram covardemente...

É MUITO LINDO! É TRISTE, É PLENO, É ISSO!

A suave e quase nula surpresa
De descobrir-me universo,
De aceitar-me terra
E desejar-me semente.

NADA MAIS INTEIRO!
tive que vir de novo...
li e reli e li e reli.
____________________

Você é a verdade...
A simples verdade em véus
de ser fábula,
de ser poesia.
A humana consciência,
pés no chão, sangue nas veias e lágrimas nos olhos,
é translúcida por ser carne e alma.
O espírito cristalino terá que se completar depois!
Assim, a surpresa, mesmo que quase óbvia
será arrebatadora:
O universo será você, terra e sina,
pontual e inteira.
e o amor repetir-se-á
semente outra vez.
_____________________


Um grande beijo de novo!
Mario

Elder Marco disse...

Por fim, a criatura sucumbiu e os infiéis regozijaram-se.
Porém nem tudo fora destruído, pois das cinzas ergueu-se um imponente pássaro.
O pássaro mirou os infiéis e lançou sobre eles o fogo
e o trovão. A criatura
renascera com forças renovadas e os
discípulos de Mamon encolheram-se horrorizados.



de o Livro de Mozilla, 7;15

-------------

Me fez lembrar isso :-)

aden disse...

...estamos integrados ao Universo, materialmente falando, na Terra e podemos ser semente, com a condição que aqui conquistarmos para algo eterno...que não sei bem o que é !